Pular para o conteúdo

Como Administrar Dinheiro?

Existem dois perfis de pessoas que vão fazer perguntas sobre “como administrar dinheiro”. Um é o de quem está em busca de se desenvolver economicamente, multiplicar seu capital e enriquecer. O outro é de quem está endividado ou vivendo no aperto para não acabar ficando sem o suprimento das necessidades básicas ou sendo negativado.

A fórmula da riqueza não é tão simples quanto podem fazer parecer. Mas, isso não significa que não seja possível ter uma vida estável, com as contas equilibradas e menos preocupações.

Como administrar dinheiro?

Para contribuir com quem está tentando melhorar suas condições econômicas, preparamos uma lista com algumas dicas sobre como administrar a economia individual e familiar:

1. Faça controle financeiro

O que não se pode controlar, não pode ser melhorado, então, é preciso olhar com atenção para todas as suas despesas e receitas.

Essa dica pode até parecer simples, no entanto, ela se faz presente em praticamente todos os livros sobre educação financeira. Isso ocorre porque os especialistas sabem que a maioria das pessoas tem apenas uma noção por alto sobre o quanto ganham e o quanto gastam.

Mesmo se você ainda não tem grandes rendimentos ou aplicações, é preciso ter números exatos em uma planilha de controle para registrar se você consegue melhorar sua vida financeira ao longo do tempo.

Se suas despesas estão aumentando ou diminuindo, se as receitas estão vindo todas do mesmo local ou não, e outras informações de entrada e saída são essenciais para que você possa ter controle sobre o que, quanto e quando pode ser aplicado em uma compra ou investimento.

Para começar, faça um levantamento de todos os seus boletos, contas, parcelamentos, empréstimos, e coloque todos os valores e datas em uma planilha ou agenda, de forma que você consiga saber quanto você “gasta” por dia, semana, mês e ano.

2. Tenha metas financeiras

Quando são estabelecidos objetivos importantes é mais fácil renunciar a despesas de baixo valor emocional. Sendo assim, ter uma meta faz com que a pessoa olhe com mais cuidado para o próprio dinheiro.

Se o objetivo for fazer uma viagem internacional, é preciso se programar durante algum tempo e, durante esse período, cada centavo faz diferença.

O pensamento deve ser: ao invés de comprar uma coxinha com refrigerante e gastar de R$15 a R$20 para ter uma refeição sem nenhum ou com baixo valor nutritivo, vale mais a pena guardar o dinheiro para contribuir com o objetivo que tiver sido pré-estabelecido, e ter sempre uma maçã, pêra ou alguma barrinha de cereal dentro da bolsa, para não sentir fome quando estiver na rua e acabar gastando sem necessidade.

Para não se auto boicotar, é importante que as metas tenham prazo definido para serem atingidas para administrar dinheiro. Assim é possível fazer ajustes para verificar se o padrão de vida que está sendo levado condiz com os sonhos e desejos que estão sendo criados.

3. Acompanhe sua evolução financeira

Após dar início ao controle financeiro e definir metas, é importante ter em mente que o acompanhamento deve ser feito de forma frequente, ou seja, não basta começar um trabalho e deixá-lo sem manutenção.

Anotando, editando e estudando informações do controle de gastos e metas, será possível obter resultados cada vez mais satisfatórios em relação às próprias economias.

4. Reduza as despesas ou aumente as receitas

É fácil falar em reduzir as despesas para quem tem um salário alto, que comporta com facilidade o pagamento das custas de necessidades básicas, mas para quem tem um salário baixo é difícil falar em redução de despesas, principalmente quando quase toda a receita é empregada em habitação e alimentação, coisas que dificilmente podem ter custos reduzidos, mas, felizmente, isso não significa que não haja solução para o problema.

Fazer artesanatos com biscuit, crochê, tricô, pintura em tecidos e diversos outros, fazer marmitas, bolos, doces e salgados para fora, trabalhar com criação de conteúdos, traduções, revisões de textos e outras atividades autônomas em horas vagas, pode fazer com que novas receitas sejam incorporadas ao orçamento doméstico, permitindo que seja feita uma reserva de emergências e que, posteriormente, sejam iniciadas pequenas aplicações e investimentos.

A margem ideal é de, pelo menos, 10% de reserva de tudo que for possível ganhar, assim será possível começar a planejar o futuro de uma forma mais realista e sair do espaço abstrato das ideias.

Confira também: Marketing digital para ganhar dinheiro como afiliado.

Sem disciplina, sem sucesso

A administração financeira não é capaz de fazer milagres econômicos, pois se não houver receita para ser administrada, não haverá riqueza. Mas, por outro lado, se houver receita e ela não for bem administrada, ela não será capaz de arcar com as despesas que estiverem sendo geradas.

A boa notícia é que com disciplina, autoconhecimento e planejamento, é possível fazer ajustes que podem melhorar a vida financeira de qualquer pessoa.

Alguns hábitos novos fazem mais diferença para quem deseja saber como administrar dinheiro que outros, mas unidos, os comportamentos sensatos e controlados causam reflexos positivos na economia individual e familiar. Além disso, permitem que sejam construídos novos projetos, investimentos e fundamentos para o sucesso.