Pular para o conteúdo

Como Evitar o Golpe do PIX em 8 Dicas!

Pouco mais de um ano após a chegada do PIX no país, ninguém parece ter dúvidas de sua praticidade. Afinal, com a opção de transferência instantânea, os pagamentos agora podem ser feitos em apenas poucos segundos, bastando que os usuários tenham acesso à internet e utilizem um simples código de transação: a chave PIX. Disponível 24 horas e sete dias por semana, a facilidade logo caiu no gosto dos brasileiros: segundo o Branco Central, cerca de 61,4% da população utiliza o recurso.

No entanto, nem tudo a seu respeito são vantagens. Isso porque, justamente por sua rapidez, os golpes envolvendo o PIX têm se tornado cada vez mais comuns — seja através da falsificação de páginas de sites ou do uso de dados como telefone e CPF para clonar informações e solicitar dinheiro de pessoas próximas. Estar atento, nesse sentido, é essencial para não se deixar enganar e cair em uma enrascada.

Mas como identificar uma situação suspeita a tempo? No artigo abaixo, o Melhor Plano separou os principais pontos de atenção para evitar que seu dinheiro seja roubado. Confira!

1)  Cuidado com páginas falsas

Um dos golpes mais antigos na internet é a criação de páginas falsas muito semelhantes às originais. Esse método pode ser usado para extorquir pagamentos, fingindo ser uma loja já conhecida.

No PIX, a ideia é parecida: os envolvidos solicitam o pagamento em uma página muito similar à original, com logo, banners e até chave PIX parecidas. A diferença é que o dinheiro na verdade será transferido para outra pessoa.

Para evitar cair nesse golpe, só efetue pagamentos em páginas seguras. Uma dica é sempre checar se há o cadeado no endereço do navegador, denotando uma página confiável. Além disso, se você receber uma solicitação de PIX de uma empresa por e-mail ou Whatsapp, antes de pagar, cheque com o emissor a veracidade da cobrança.

2)  Códigos de acesso são secretos

Muitos bancos ou instituições financeiras pedem que o usuário realize autenticação em dois fatores. Nesse método, o cliente recebe um SMS com o código a ser solicitado durante o pagamento.

Porém, na tentativa de golpes, os usuários recebem pedidos de envio do código por outras plataformas, como Whatsapp ou telefone. Com essa informação, o golpista pode clonar seu perfil em outro dispositivo e acessar sua conta.

Além de colocar suas chaves de acesso ao banco em risco, também permite que o outro dispositivo acesse sua lista de contatos e solicite dinheiro a terceiros utilizando seu nome. Portanto, atenção redobrada!

3)   Não envie PIX a contatos sem conferir

Da mesma forma, caso você receba um pedido de dinheiro de alguém que conhece, não o transfira imediatamente. Cheque se é realmente a pessoa que está pedindo e o motivo, para ter certeza de que não se trata de um golpe.

Caso algo pareça suspeito, não envie a quantia e alerte a pessoa que seu nome está sendo utilizado em um golpe do PIX.

4)  Nada de transações em redes públicas

Evite realizar transações bancárias ou passar informações sigilosas se não estiver em uma rede segura. Isso porque, nas redes abertas como em shopping centers, parques e escritórios, é muito mais difícil manter a segurança pelo número de dispositivos conectados. Nesse caso, em vez do wi-fi público, é melhor utilizar seu pacote de internet móvel.

5)  Não abra arquivos suspeitos

Outro golpe do PIX bastante comum é o envio de arquivos com vírus por e-mail ou Whatsapp. Esse método é chamado de phishing e consiste em arquivos que roubam suas informações e as transmitem para os fraudadores. Com elas, é possível invadir contas bancárias e realizar transações.

Para evitar o transtorno, não faça download de arquivos desconhecidos. Se forem enviados por empresas, confira antes se o endereço de e-mail é oficial. No Whatsapp, por sua vez, procure observar se está conversando com um número comercial, com foto e informações que você pode conferir no site.

6)  Prefira chaves PIX aleatórias

No PIX, é possível escolher chaves com base em seu número de telefone, e-mail e CPF. Ainda que sejam mais práticas de decorar, geram o risco de vazamento de dados e informações pessoais.

Uma boa técnica é utilizar essas chaves apenas para contatos próximos. Para solicitar pagamentos, crie uma chave alfanumérica aleatória. Além de proteger suas informações, pode ser facilmente trocada em caso de problemas.

7)  Coloque limites no PIX

Como mencionamos, ao contrário do TED e do DOC, o PIX funciona 24h/dia e 7 dias/semana. Isso significa que não há uma conferência manual de informações pela equipe bancária, bem como estorno em caso de erros, já que a transferência é instantânea.

Sendo assim, é importante ter em mente duas precauções. A primeira é conferir os dados do recebedor antes de enviar o dinheiro. Caso algo pareça errado, não faça o pagamento até conferir com a pessoa.

Já em caso de invasão à conta bancária, o limite diário de transferências pode te salvar. Calcule quanto você transfere por dia no PIX e estabeleça o limite. Se alguém entrar em sua conta com más intenções, não conseguirá realizar a transferência pelo limite estabelecido.

Também é possível delimitar a quantia por horários: se você só utiliza a conta durante o dia, limite ainda mais a quantia transferível no período noturno. A mudança do limite geralmente só é feita contatando o banco, algo que apenas o titular da conta pode fazer.

8)  Utilize apenas meios oficiais para não cair no golpe do PIX

Com as facilidades da tecnologia, nem sempre o usuário se atenta aos processos cotidianos. Um tipo de golpe do PIX conta justamente com essa desatenção: o fraudador cria uma versão falsa do app ou site do banco e direciona os pagamentos para si.

Antes de realizar qualquer transação, nunca se esqueça: transfira apenas por meios oficiais, como app, online banking e plataformas de pagamento idôneas e seguras, com criptografia de dados e protocolos de privacidade.

Dessa forma, você evita cair em um golpe do PIX e protege seus dados pessoais e financeiros de tentativas futuras.