Pular para o conteúdo

Origem e Evolução dos Computadores

A origem e evolução dos computadores: Há cinquenta anos atrás, quase ninguém imaginava o tanto que a tecnologia iria avançar e trazer aparelhos que facilitam a comunicação e a busca de informações ao redor de todo o mundo, como os computadores

Os dispositivos computacionais surgiram com um conceito de evolução humana e tecnológica, fazendo todos verem que o mundo estava entrando em uma nova era que iria mudar completamente o rumo das coisas. 

Por isso, hoje, vamos viajar no tempo e descobrir toda a história e origem deles, que nos ajudam a trabalhar, estudar, comprar e entreter.  

História do computador 

Para começo de conversa, precisamos entender o que é um computador, esse nome vem do verbo computar, que significa de modo geral, calcular. 

Sendo assim, isso significa que um computador nada mais é do que um aparelho que calcula ações e ferramentas para chegar ao resultado solicitado. 

Quem vê um computador ou notebook hoje em dia não imagina o que eles já foram no passado, e nem tudo o que está por dentro ou compõe aquele pequeno aparelho, como:

  • Fiações;
  • Sistemas;
  • Chips;
  • Entradas;
  • Cartões;
  • Placas;
  • Pixels. 

Tudo isso e muito mais faz parte um computador da atualidade, mas com o avanço da tecnologia esses elementos ficam imperceptíveis aos nossos olhos e apenas nos beneficiamos de tudo o que a combinação desses materiais nos entrega. 

Isto posto, vale lembrar que os aparelhos vistos hoje, e o computador em si, não foi o primeiro aparelho a realizar este tipo de ação no mundo. 

No século V A.C. foi criado o “primeiro computador”, que era um instrumento mecânico chines que realiza operações algébricas, ou seja, uma calculadora. 

Lembrando que naquela época a população não fazia ideia do termo calculadora e nem imaginava que aquele pequeno aparelho criado faria toda a diferença nos anos seguintes com o avanço da tecnologia

Pulando um pouco mais para a frente, no século XVII, o escocês e matemático John Napier criou a “régua de cálculo”, o primeiro aparelho analógico que conseguiu realizar cálculos logaritmos, foi e ainda é considerada a mãe das calculadoras. 

A partir de então, o conhecimento e as inovações não pararam, mais e mais pesquisadores foram surgindo com novas e brilhantes ideias para aperfeiçoar o que já havia sido criado. 

Como foi o caso do matemático francês Pascal, que em 1640, criou a primeira máquina de calcular automática, que com o passar do tempo foi aperfeiçoada até chegar ao teclado que temos hoje em nossos computadores. 

Esse foi um passo extremamente importante e gerou um verdadeiro boom na mente daqueles que já estudavam a área da tecnologia e elétrica, criando a esperança de um mundo com informações e serviços mais acessíveis. 

Após isso, Gottfried Wilhelm Leibniz, um matemático alemão criou a primeira calculadora de bolso que era capaz de realizar cálculos das quatro funções matemáticas: a soma, subtração, divisão e multiplicação. 

Além disso, ele também foi o responsável por criar o primeiro sistema de numeração binários, que na época, ficou conhecido como “Roda de Leibniz”.

E foi com a criação dos códigos binários que a grande magia aconteceu, porém, até hoje muitas pessoas possuem diversas dúvidas sobre o que é o código binário e para o que ele serve, então vamos falar um pouco sobre. 

Também, preparamos um artigo completo sobre a Evolução dos Notebooks. Corre lá que o assunto pode te interessar!

O que é um código binário? 

Código binário pode ser considerado uma linguagem de máquina, ou seja, é como o computador interpreta as informações enviadas por meio dos comandos, que partem, por exemplo, do teclado, áudio e toque.

Como diz o nome, esse código trabalha com a noção de base 2, ou seja, só pode ter duas fases ou modos. A palavra binário vem do latim binarius

No caso dos computadores, esse código é composto pelos números 0 e 1. Assim, somente esses dois números são utilizados para representar caracteres no computador. 

E cada um desses números é correspondido pelo termo bit, que vamos abordar agora com você. 

Bit e Bytes

Bit é o nome dado a unidade desses números no código binário (0 ou 1), como já mencionamos. Já bytes, refere-se a um conjunto de 8 bits, ou seja, mais de um número dentro da programação. 

Veja o exemplo a seguir: 1 = um bit. 10001010 = 1 Byte (uma sequência com 8 bits).

É exatamente assim que um computador interpreta os comandos que realizamos por meio dos aparelhos, por exemplo, se digitarmos o número 3 no teclado, o computador irá interpretá-lo por meio do código 0011.

Assim como, se pesquisarmos por marketing de conteúdo, o computador poderá interpretar esse termo com o código abaixo:

01101101 01100001 01110010 01101011 01100101 01110100 01101001 01101110 01100111 00100000 01100100 01100101 00100000 01100011 01101111 01101110 01110100 01100101 11111010 01100100 01101111. 

Entender bem esse assunto pode ser um desafio para algumas pessoas, mas o fato é que a criação desse sistema binário tornou a pesquisa e ou resultados de buscas muito mais rápidos do que anteriormente. 

A evolução dos computadores 

O aperfeiçoamento do código binário foi revolucionário para os computadores, mas antes disso acontecer, muitas coisas surgiram para que se chegasse nos resultados que temos hoje. Veja a seguir a evolução dos computadores com o passar do tempo.

Primeira geração 

A primeira geração dos computadores reúne os anos de 1951 até 1959 e é marcada pelo imenso tamanho dos computadores daquela época. Para se ter uma ideia, alguns deles chegavam a ocupar uma sala de estar inteira. 

E eles eram realmente grandes, largos e altos, o acesso era restrito, ou seja, a população de classe média e baixa não tinham acesso a esse tipo de aparelho. 

Além de consumir um grande espaço, eles também consumiam muita energia, alguns deles chegavam a consumir cerca de 200 quilowatts. As válvulas também não eram poucas, o que dificultava ainda mais a operação. 

Um desses tipos de computadores era o ENIAC (Eletronic Numerical Integrator and Computer), que possui cerca de 19 mil válvulas operacionais.

Segunda geração    

Cada vez mais próximo da nossa realidade, chegamos na segunda geração dos computadores que abraça os anos de 1950 até 1965. 

Essa geração foi marcada pela diminuição do tamanho dos computadores, eles ainda eram grandes, mas não tanto quanto na primeira geração. 

Agora, conseguiram ocupar a metade de uma parede e permitir que outros aparelhos também ficassem no local. 

Outro ponto muito importante que marcou mais um avanço na criação dos computadores foi a substituição das válvulas por transistores, eles são dispositivos que acionados permitem uma maior intensidade elétrica no aparelho. 

Essa mudança trouxe ainda mais praticidade, já que as válvulas eram pesadas e lentas, com isso, os computadores começaram a ser comercializados mais ainda estavam longe das casas de pessoas na época. 

Terceira geração 

Continuando com a nossa viagem pelo tempo e pela história da criação dos computadores, chegamos à terceira geração que corresponde aos anos de 1965 até 1975. 

Essa geração foi marcada pela criação dos circuitos integrados que substituiriam os transistores, ou seja, esses circuitos eram ligados um ao outro e colocados dentro de um tipo de caixa com uma tela, bem semelhante a alguns computadores que ainda vemos hoje. 

Foi nessa época que os famosos computadores, que foram febre no Brasil, por volta dos anos 90 foram criados, com a traseira das telas bem grande e pesada e teclados ainda muito grandes se comparado ao que temos hoje em dia.

A partir daí, os computadores pessoais começaram a ser usados, ou seja, cada um já podia ter o seu com os seus dados e informações. 

Quarta geração 

Finalmente chegamos à quarta e última geração, que abraça desde os anos de 1975 até os dias atuais, ou seja, nossa atual geração já pertence a última criada para os computadores. 

A primeira delas foi a drástica diminuição no tamanho dos computadores, que se tornaram mais leves e fáceis de locomover, se comparado com os das gerações anteriores. 

Seu gasto de energia também foi diminuído, o que gerou mais economia para os usuários. 

Além disso, foram criados e integrados os softwares integrados na virada do milênio, de 1999 para 2000, que marcou a invenção de aparelhos móveis e portáteis como os smartphones, tablets e ipads

A evolução da tecnologia dentro da quarta geração foi tão rápida quanto a chegada das redes sociais, anos à frente, e de suas plataformas como o Twitter Ads e o Google, que também mudaram por completo a vida das pessoas. 

Alguns estudiosos ainda acreditam que pode haver uma quinta geração dentro dessa evolução dos computadores.

Isso devido a criação dos supercomputadores que, atualmente, são utilizados pela NASA e também com o surgimento da inteligência artificial. 

O fato é que, assim como estratégias de marketing se desenvolvem e mudam sem parar, como o inbound marketing, a tecnologia vem mostrando um avanço que promete não parar tão cedo. 

Leia Também sobre: A origem e evolução dos smartphones.

Qual a importância dos computadores hoje em dia? 

Muitas pessoas ainda pensam que com a chegada dos smartphones e tablets, a venda e o comércio de computadores irão acabar, mas isso é um grande mito. 

Por mais que os celulares realmente nos proporcionem mais praticidade e acessibilidade, existem coisas que somente um computador poderá nos ajudar a realizar da melhor forma. 

Vamos imaginar que um fiscal de marketing precisa produzir um e-book para seus alunos, será que ele conseguiria escrever, editar e diagramar todo o material apenas com a pequena tela do celular? 

Os computadores foram umas das grandes invenções tecnológicas no mundo, e mesmo com diversos outros aparelhos sendo criados, eles ainda vem mostrando a sua importância e também mudança. 

Os notebooks, por exemplo, vieram para revolucionar a ideia do computador, pois eles não possuem aquela tela gigante, um teclado separado e muito menos uma CPU pesada para carregar de um lado para o outro. 

Espero que este artigo, sobre a história do computador e sua evolução, tenha sido útil para você. Não esqueça de compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre o processo tecnológico mais importante das últimas décadas.